Ajoelhando para aceitar Jesus

Ajoelhando para JesusEsse testemunho foi contado por um pastor jubilado (aposentado), que está completando 45 anos de caminhada na fé. Para não divulgar seu nome, vamos chamá-lo de João.

            Numa pequena cidade do sul de Santa Catarina, no ano de 1970, João foi convidado por um grupo de crentes para ajudar numa obra de uma igreja que estava sendo feita numa comunidade da cidade vizinha.

            Logo que chegaram ao local, começaram a trabalhar na fundação da nova igrejinha, ele conta que achou estranha a forma como os homens pareciam não se entender na distribuição das tarefas, mas achou muito interessante a comunhão que tinham uns com os outros.

           Depois de trabalharem um pouco já era o horário do almoço, alguns tinham preparado a comida e segundo João, quando achou que ia comer, alguém disse: vamos orar… Pensou consigo, parece que eles não têm fome, ainda tem que orar.

            Mais trabalho durante a tarde até o anoitecer, logo já é hora de ir embora, só que não, os crentes queriam fazer um culto numa casinha que ficava no alto de uma duna onde estavam fazendo a fundação da nova igreja. João decidiu que não ia subir o morro de arei pra “rezar” com os crentes. Começou a fumar um cigarro e viu que um deles ficou ali com ele, pode ir, disse João. Mas o homem falou que ia ficar ali com ele ou os dois poderiam subir juntos.

            João se lembrou de seus joelhos ruins, fazia dois anos que não podia se abaixar por conta de um acidente, os médicos da época disseram que seus joelhos tinham perdido o líquido sinovial, responsável pela lubrificação, e ele jamais teria seus joelhos bons novamente. João conta que para calçar os sapatos precisava da ajuda de sua mãe.

            Mas mesmo com os joelhos capenga, não se sentiu a vontade em deixar o homem ali com ele e resolveu subir o monte de areia para a tal casinha. João conta que queria sair do lugar, mas uma voz dizia em sua cabeça ele deveria permanecer ali, achava que estava ficando doido, mas ficou mesmo assim, lembrou-se ainda de um conselho de seu pai que sempre falava: Não fique com aqueles crentes, eles falam uma língua diferente que pega na gente.

            João tentou sair do local e acabou caindo, ele conta que sentiu dor na sua perna melhor e a outra que não ajudava travou, mas um dos homens o aparou e lhe perguntou: Você gostaria de aceitar Jesus? Ele conta que disse que sim e caiu para frente se ajoelhando com os seus joelhos já curados. Sentiu-se muito bem e a tal língua estranha também tinha pegado nele, João tinha aceitado Jesus, recebido uma cura e sido batizado no Espírito Santo.

            Mais tarde ao chegar a sua casa, João queria ir ao culto da igreja sede que ficava perto de sua casa, colocou o único terno que tinha e quando sua mãe veio para calçar os seus sapatos ele disse: Mãe, muito obrigado pelos dois anos que a senhora me ajudou, mas hoje o Jesus dos crentes me curou e agora eu também sou um crente. Desde esse momento até hoje, já se passam 45 anos de grandes experiências de João com Deus.

This entry was posted in Testemunho and tagged , , . Bookmark the permalink.